Os principais erros cometidos pelo varejo físico nessa nova era: Saiba o que não fazer e ao mesmo tempo coloca-los em prática dentro do seu negócio.

 Uma das principais características dessa nova era está em errar, como assim?

Errar é preciso!

Entretanto, erre rápido, aprenda e inove sempre!

 

A importância dos testes

Com a ampliação da participação da tecnologia no varejo cria–se novos processos e novas rotinas. A rapidez com que as mudanças ocorrem e a necessidade de soluções inovadoras promove uma dinâmica de trabalho cada vez mais ágil, focada em dados, informações, indicadores, além de estimular cada vez mais a experimentação: tentativas de sucesso que podem ou não dar certo, porém que devem ser frequentes.

Um dos autores favoritos da Geração f5, Eric Ries, criador da estratégia Lean Startup, afirma que o fracasso é inevitável, mas é necessário que esse fracasso seja superado de forma rápida e indolor. Dessa forma o empresário/empreendedor aprenderá com os erros a ter sucesso.

 

Os 4 erros clássicos do comercio varejista

 

Pensando em auxiliar as lojas do varejo físico a estabelecer uma gestão ágil, elencamos 10 erros clássicos que o varejo físico ainda comete na era digital: 

1- Não estabelecer metas

Entendemos que ao estabelecer metas conseguimos enxergar rapidamente o que está dando certo e o que não está, podendo mostrar para a equipe em qual caminho focar.

Assim, para conseguir medir com precisão os objetivos, eles não podem ser amplos ou complicados de entender. Portanto, prefira aumentar 30% as vendas por e-commerce do que aumentar o número de negócios feitos digitalmente. Ao mesmo tempo, possuir um placar de vendas com metas claras, atingíveis e controladas diariamente é uma ótima solução para time de vendas.

 

2 – Não conhecer a experiência do consumidor

O desafio de proporcionar uma boa experiência é mais abrangente do que se idealiza. Por exemplo, se o consumidor pode comprar online, qual passa a ser o diferencial da loja física? Um padrão de atendimento, ou seria um ambiente limpo e agradável. Além disso, aprimorar a experiência do cliente também tem relação com a tecnologia. É que, a partir da análise dos dados coletados por meio de ferramentas específicas, é possível prever comportamentos e entregar com precisão o que o cliente busca. Dessa forma, a marca entrega uma experiência de valor que se diferencia das comuns.

 

3 – Profissionais com baixa capacidade tecnológica

Para lidar com o novo perfil de consumidor, é preciso um profissional que o conheça. Por isso, o desafio aqui é reunir, seja investindo na contratação ou no treinamento, funcionários multifuncionais e habituados às ferramentas de tecnologia.

 

4 – Ser displicente com a cultura organizacional da empresa

Não ter claro qual é o DNA do seu negócio é um erro que pode fazer com que os colaboradores não saibam como agir ou qual imagem passar para os clientes no varejo. Desse modo, reforce qual é a missão, visão e valores da empresa, bem como o que deve ser feito para que eles sejam respeitados. Descubra colaboradores com seus propósitos pessoais alinhados com o propósito do seu negócio, isso despertar algo mágico, a motivação de acordar todo dia por um finalidade, uma intenção.

 

Diante disso, entenda que errar é preciso! Entretanto erre rápido, aprenda e inove sempre! Algum tempo atrás a palavra “erro” era sinônimo de coisa negativa. Ao logo dos tempos, errar está se tornando uma ferramenta de descoberta e realizações.

 

5 Passos para utilizar os erros a favor da sua loja

 

Por fim, listamos os 5 passos básicos para criar uma cultura que adote o erro, crie processos de validação de hipóteses e aprenda a ter sucesso com as falhas.

 Passo 1 – Treinar a liderança:

É fundamental que as lideranças enxerguem os erros como processos, assim o aprendizado torna-se inovação quando os profissionais não têm medo de falhar. Para que isso seja possível, a liderança deve comprar essa ideia. Ou seja, líderes devem entender que a cultura do erro leva ao sucesso, e não ao fracasso.

 

Passo 2 – Entender por que o erro foi cometido:

Praticar a cultura do erro é dedicar tempo para analisar o motivo do erro antes de partir para outra solução. Deste modo, identificar o que causou determinada falha gera aprendizado.

 

Passo 3 – Colher dados:

Procure coletar dados que expliquem a falha, de tal modo, que ao avaliar o erro, você define métricas que esclarecem as falhas. Esses dados são decisivos para que você elabore uma nova hipótese e realize novos testes.

 

Passo 4 – Fazer listas de aprendizagem:

É importante compilar o que aprendeu a partir de cada erro para enxergar como sua ideia foi se modificando – e amadurecendo. Procure examinar sempre essas listas quando sentir que é hora de mudar de estratégia.

 

Passo 5 – Pivotar:

Nesse caso especifico, pivotar é trocar de estratégia após apreender que a empresa estava no caminho errado. Portanto o melhor a fazer é mudar a direção e pivotar.

 

Enfim, como vimos, o mindset do varejo precisa mudar para não ficar preso aos erros do passado. Sabemos que essa não é uma tarefa fácil e exige que os varejistas fiquem antenados. Além disso, a transformação sempre trará novos erros. Contudo, que eles sejam na direção do crescimento e conquista de clientes!

Posts que você pode gostar também:

Prevenção para o varejo em período Coronavírus

Com a mudança diária do cenário, a Gf5 está comprometida em ajudar as empresas e pessoas a responder aos desafios que estão surgindo. COVID-19: Contexto Geral   Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus...

4 Tendências que vão movimentar o varejo em 2020

Pelo momento e os desafios que estamos enfrentando, estas definições nunca foram tão úteis para o varejo mais tradicional, que representa a grande parcela dos negócios. A verdadeira função da loja física, conceitos como Retailment e Varejo Social (Social Retail) NRF...

× Como posso ajudar?